No dia 03 de setembro é comemorado o dia do Biólogo. E para celebrar esse dia, foi realizada uma palestra sobre “Bioinvasão Marinha: Controle, Gestão da água do Lastro e Diretrizes da ONU”.

O palestrante Lohengrin Fernandes, licenciado em Biologia pela UFRS e também Pesquisador da Marinha do Brasil, explicou mais sobre a Bioinvasão e as consequências do impacto dessa invasão biológica.

A bioinvasão marinha é o processo em que atividades humanas levam espécies para novas regiões onde se estabelecem e podem causar danos ambientais, sociais e econômicos.

Com a globalização e o crescimento do comércio internacional, houve um aumento expressivo e continuo no aumento do número e frequência de bioinvasões pelo mundo.

O transporte marítimo, é um meio que ajuda na comercialização de produtos, mas que gera impactos ao meio ambiente, um desses impactos é a água de lastro. Os organismos são transportados em tanques de lastro ou incrustados nos cascos de navios, barcos e plataformas.

Para movimentar as embarcações de grande porte, os tanques de lastro precisam ficar cheios de água como contrapeso, devido os navios saírem do porto sem carga, isso auxilia no controle e estabilidade do navio. A água de lastro é descarregada em seu destino para que possa ocorrer o preparo para o embarque de novas cargas.

O delastro incorreto dessas águas, acarretam em significativa degradação ao meio ambiente. A principal técnica utilizada para evitar essa bioinvasão é realizar a troca da água de lastro em alto-mar, uma vez que os organismos costeiros não sobrevivem em locais de grande profundidade. Podem ser realizadas outras técnicas de tratamento de água, como filtração, tratamento elétrico e aplicação de biocidas.

Ao final da palestra Lohengrin falou da importância da fiscalização da Marinha e de órgãos responsáveis pela vistoria de navios de carga, e a necessidade de sempre estar em busca de informações e especializações para contribuir com o meio ambiente.

Acessibilidade